SEGUIDORES

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

Em bom português: foto-reportagem, foto reportagem ou fotorreportagem?

Esta foi a pergunta que o Paulo Pereira me deixou ontem na caixa de comentários.
A grafia correta é fotorreportagem.
A justificação está na base XVI, ponto 2. a): “a) Nas formações em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo estas consoantes duplicar-se, prática aliás já generalizada em palavras deste tipo pertencentes aos domínios científico e técnico. Assim: antirreligioso, antissemita, contrarregra, contrassenha, cosseno, extrarregular, infrassom, minissaia, tal como biorritmo, biossatélite, eletrossiderurgia, microssistema, microrradiografia.
Esta procedimento de formação de palavras por prefixação, que já era aplicado a algumas palavras (por exemplo, em fotossíntese, biorritmo e biossatélite), generalizou-se com a entrada em vigor do Novo Acordo.
Há uma única exceção a ter em conta: sempre que o segundo elemento é um estrangeirismo, sigla ou nome próprio, o hífen é obrigatório. Exemplos: anti-stress (antiestresse no Brasil, uma vez estresse já não é estrangeirismo), anti-Sócrates, anti-SNS*.

Até amanhã.
AP

*Serviço Nacional de Saúde.

12 comentários:

  1. Boa noite António,

    Bem... eu sou bruxa!
    Deixei a resposta no meu blogue, antes de passar, aqui, e acertei.
    Para mim, a 2ª hipótese era a que mais me "soava" ao olhar, mas o menos provável, é aquilo que sempre acontece.

    Tenha uma excelente noite, nos braços de uma "Vénus" (tirei o determinante indefinido, qualquer)
    "Vai lá, vai", como diz um colega nosso, em matéria de mulheres bonitas.

    ResponderExcluir
  2. Olá

    A minha dúvida é a seguinte: o plural de caráter (temperamento) é caráteres ou carateres com a sílaba tónica no e? Como devo escrever e dizer quando refiro que duas pessoas têm temperamentos diferentes usando o termo caráter?
    E como é no caso dos carateres tipográficos? Como é o singular? Usa-se a mesma regra ou é diferente?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite, Frederico!
      Tanto para o temperamento como para os tipos gráficos a regra é a mesma:
      Singular: caráter; Plural: carateres (palavra grave, pronunciada "caratéres").
      Ao dispor,
      AP

      Excluir
  3. Olá.
    Postagem divulgada no Portal Teia.
    Até mais

    ResponderExcluir
  4. Maria da Graça Pinhão6 de setembro de 2012 14:40

    Olá, António Pereira.
    Ainda a respeito do bendito hífen:
    Se eu escrevo «stresse» e «stressante», como devo escrever:
    antistresse e antistressante
    ou
    anti-stresse e anti-stressante?
    Se escrevo antistresse e antistressante, estou a partir do princípio de que stress deixou de ser estrangeirismo pelo simples facto de ter acrescentado um «e» no fim da palavra?
    Agradeço desde já o seu esclarecimento.Sou tradutora e estas dúvidas deixam-me doente! Bem sei que traduzir é «dizer quase a mesma coisa», mas ao menos sem erros!
    Muito obrigada

    Maria da Graça Pinhão
    Góis

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa tarde, Maria da Graça.
      As suas dúvidas são muito pertinentes, mas a resposta não é fácil. Vamos por pontos:
      1. Ao juntar o e, faz o aportuguesamento de "stress" (stresse - termo que já consta em vários dicionários, embora não no Portal da Língua Portuguesa) que deixa de ser um estrangeirismo (logo, sem aspas ou itálico).
      2. Quanto à formação de palavras por prefixação a partir de stresse, na minha opinião, teremos de seguir o estipulado pela Base XVI, ponto 2. a), do Novo Acordo: "2. Não se emprega, pois, o hífen: a) Nas formações em que o prefixo ou falso prefixo termina em vogal e o segundo elemento começa por r ou s, devendo estas consoantes duplicar-se, prática aliás já generalizada em palavras deste tipo pertencentes aos domínios científico e técnico. Assim: antirreligioso, antissemita, contrarregra, contrassenha, cosseno, extrarregular, infrassom, minissaia, tal como biorritmo, biossatélite, eletrossiderurgia, microssistema, microrradiografia.”
      Da aplicação da regra resultam grafias muito estranhas devido ao início "st" que não temos na nossa língua: antisstresse e antisstressante. Mas considerando que "paralímpico" era considerado um mamarracho no Ciberdúvidas há uma dezena de anos e hoje está em todos os dicionários, admito que o que é estranho hoje se entranhe amanhã.
      3. Apresentei a questão ao Ciberdúvidas e à linguista Margarita Correia do Portal, mas ainda não obtive resposta. Se quiser que lhe comunique alguma novidade sobre o assunto, envie-me o seu email para professor.ap@gmail.com.
      4. Encontrei a grafia "antistresse" neste artigo: http://www.dietasdeemagrecimento.com/o-stress-faz-engordar/

      Desejo-lhe bom trabalho nas traduções, ficando ao dispor.
      AP

      Excluir
    2. Maria da Graça Pinhão6 de setembro de 2012 16:57

      Muitíssimo obrigada pela ajuda. Mandei-lhe um mail para o endereço indicado.

      Excluir
  5. Ok!
    Logo que tenha notícias, direi.
    AP

    ResponderExcluir
  6. Bom dia Sr. Professor.
    Desculpe só agora aqui passar para agradecer o esclarecimento da minha dúvida mas o início do novo ano letivo e uma avó portadora de Alzheimer...

    Abraço e uma vez mais, muito obrigado.

    ResponderExcluir