SEGUIDORES

quarta-feira, 15 de agosto de 2012

Em bom português: demais ou de mais?


Finalmente, ganhei coragem para vos trazer este dilema, verdadeiro bico de obra da nossa língua. Este, mais do que qualquer outro, terá de ser apresentado por pontos para evitar baralhar as ideias. As minhas e as vossas...

1. A maneira mais simples que sempre segui para ajudar os meus alunos a tomar, com um grau de certeza elevado, a decisão certa foi dar-lhes duas dicas:
A. De mais é equivalente a “demasiado”, a mais” e, ao contrário de demais, é substituível por “de menos”. Exemplo: “Ele come gelados de mais.”
B. Nos casos não abrangidos em A., a opção certa é, muito provavelmente, demais, que pode significar “além disso” (“Não, não te vou perdoar; demais, nem desculpa me pediste!”) ou “os restantes”/“os outros” (“Os alunos da fila junto à porta podem sair. Os demais aguardam mais um minuto.”).
2. Na rubrica “Pelourinho” do Ciberdúvidas (AQUI), Regina Rocha:
a) defende que se deve escrever de mais para exprimir a noção de quantidade (“Nenhuma vida é de mais.”);
b) para exprimir a intensidade (correspondente a “muitíssimo”, “em demasia”), propõe demais (advérbio de modo) como intensificador de formas verbais, advérbios ou adjetivos. Dá como exemplos: «Aquele rapaz dorme demais.» «A jarra é frágil demais; vai partir-se.» «Para aquele pasquim, ele escreve bem demais
3. O FLIP, nas “Dúvidas Linguísticas”, faz uma abordagem aprofundada do assunto, recorrendo a várias fontes. Para Rebelo Gonçalves, por exemplo, de mais pode ser associado a quantidade, mas também a intensidade, contrariando a posição de Regina Rocha (referida no ponto 2.). Transcrevo o parágrafo final da resposta:
Por este motivo, excluindo os dois contextos referidos inicialmente (ex.: entregou a certidão, mas os demais documentos serão enviados pelo correio; considerou o resultado insuficiente, demais nunca gostara daquele serviço), poderá ser opcional o uso de de mais ou de demais. Por outro lado, a expressão de mais pode ainda corresponder apenas à preposição de seguida do pronome indefinido mais, sem qualquer unidade sintáctica ou semântica (ex.: serviu-se de [mais] arroz; a entrada de [mais] pessoas pode criar problemas de sobrelotação; precisava de [mais] dinheiro) e nesse caso, obviamente, não poderá ser utilizada a forma demais.
4. O blogue http://linguamodadoisec.blogspot.pt apresenta uma explicação semelhante à referida em 1., mas acrescenta: “No entanto, tem havido uma tendência crescente para escrever a locução de mais como uma só palavra, a tal ponto, que alguns dicionários, como o Priberam (da Texto Editores), já atestam que demais significa o mesmo que demasiado, assim como algumas gramáticas, como a Saber Falar, Saber Escrever (Dom Quixote), incluem demais nos advérbios de quantidade.
Mais uma vez, conclui-se que os falantes é que vão moldando a língua de acordo com a sua vontade.
5. No Brasil, a tendência é optar, na generalidade dos casos, por demais. Veja esta explicação que encontrei em http://g1.globo.com/platb/portugues/2008/09:
Demais OU de mais?
1) DEMAIS significa “excesso, muito, demasiadamente ou o restante”: “Ela trabalha demais”; “Comeu demais”; “Os demais podem voltar para casa”.
2) DE MAIS equivale a “a mais”, opõe-se a “de menos”: “Recebeu dinheiro de mais (= a mais)”; “Não tem nada de mais (nada de menos)”.
Nota: Para uma explicação mais consistente, clique AQUI.
6. Para a explicação mais completa sobre o assunto que encontrei (no Ciberdúvidas), clique AQUI.


7. CONCLUSÕES (para toda a lusofonia):
1. Como dica orientadora, transcrevo um extrato do artigo referido no ponto anterior: “Regra prática para escolher a forma adequada: opor de mais a de menos. Se de menos for possível, é natural que de mais também seja possível.”
2. Se estiver em estado desesperado ou em dúvida (mesmo depois de aplicar o teste com o “de menos”), escreva demais!
3. Se for professor(a), seja tolerante, pois esta é uma matéria que não tem nada de simples e as fontes não são coincidentes. Pode aceitar opcionalmente demais ou de mais, exceto quando o sentido for “os outros” ou “além disso”. Aí, só pode ser demais.


Depois de tanto tempo à volta deste assunto, espero ter ajudado.

Bom resto de feriado!
AP

P.s. De mais é uma locução adverbial, enquanto demais pode ser um pronome ou um determinante demonstrativo (quando significa “os outros”), um advérbio (quando corresponde a “além disso”) ou um adjetivo (“Ela é demais!”).

7 comentários:

  1. Concerteza ou com certeza? Tb dá confusão. Não se importa de esclarecer? Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza, pelo simples fato de não existir a palavra "concerteza".

      Excluir
  2. Obrigado pela confiança.
    Usei a sua dúvida para a mensagem de hoje. E a resposta é... com certeza!
    Ao dispor,
    AP

    ResponderExcluir
  3. Com certeza a palavra certa é com certeza.

    ResponderExcluir
  4. Os "demais" "de mais" estão errados!

    ResponderExcluir
  5. Muito bom. Se todos os professores ensinassem assim nas escolas as notas seriam muito melhores. É uma questão que sempre me despertou interesse enquanto estudante e nunca me foi claramente esclarecida. Obrigado

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...