SEGUIDORES

terça-feira, 28 de janeiro de 2014

Novo Acordo Ortográfico: fonte de “bem estar”?


Na minha leitura (atrasada como sempre…) da revista portuguesa Visão de 16 de janeiro passado, vi-me perante esta passagem do artigo de opinião de Luís Amado (página 16):
A crise acentuou a função crucial do crescimento nas sociedades ocidentais, significativamente definidas como sociedades de consumo e de “bem estar”. É esse “bem estar” que garante a confiança, a paz social e a estabilidade política, fatores críticos do desenvolvimento.

O “bem estar” de Luís Amado (ou da revista Visão?) provocou-me um verdadeiro mal-estar (nunca o muito comum “mau-estar”, analisado AQUI).
Estando o AO longe de ser uma obra imaculada, não deve ser invocado como justificação para aplicações “à la carte” das novas regras: tiram-se os “cês” e os “pês” (dando origem a “fatos” em vez de “factos” e a “patos” em vez de “pactos”) e os hífenes a eito e está feito!

A consulta das fontes não deixa qualquer dúvida:
FONTE
REGRA
GRAFIA
FO1911
De acordo com a Base  XXXIV, b), o hífen “será utilizado também nos seguintes caso: Os advérbios mal, bem, formando o primeiro elemento de um composto, unem-se ao segundo elemento por hífen, quando sem êle a soletração seria errada; ex.: bem-aventurança (…).
bem-estar
FO43
(BRAS)
Segundo a Base XLVI, 5º g), há hífen a seguir a “bem, quando a palavra que lhe segue tem vida autônoma na língua ou quando a pronúncia o requer: bem-ditoso, bem-aventurança, etc.
bem-estar
AO45
(PORT)
A Base XXIX, 12.°), determina o uso de hífen em “compostos formados com o prefixo bem, quando o segundo elemento começa por vogal ou h, ou então quando começa por consoante, mas está em perfeita evidência de sentido: bem-aventurado, bem-aventurança, bem-humorado (…)
bem-estar
AO 90
(PORT
e
BRAS)
Base XV, nº 4: “Emprega-se o hífen nos compostos com os advérbios bem e mal, quando estes formam com o elemento que se lhes segue uma unidade sintagmática e semântica e tal elemento começa por vogal ou h (…): bem-aventurado, bem-estar, bem-humorado.
bem-estar
Nota etimológica:
Vinda do latim bene, a palavra passou pela forma arcaica bẽe. No entanto, já encontramos a grafia bem em textos dos séculos XVIII e XIV. Não consegui descobrir em que altura foi introduzido o hífen em formas em que bem- é elemento de composição, mas encontrei bem-estar em textos do século XIX. Curiosamente, a palavra era considerada galicismo por alguns puristas.

CONCLUSÃO:
Era e é: bem-estar!
Fontes consultadas:
.Infopédia.
.Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa, de José Pedro Machado.
.Formulários Ortográficos de 1911 e de 1943 (ainda em vigor no Brasil) e Acordos Ortográficos de 1945 (em vigor em Portugal) e de 1990.

Abraço e desejo a todos muitos momentos de bem-estar!
AP
Imagem encontrada AQUI.

3 comentários:

  1. Nossa Antonio, ainda bem que é bem-estar, pois esta é uma palavra que uso muito nos meus artigos no blog e sempre coloquei o hífen!
    Realmente o “bem estar” de Luís Amado provoca um verdadeiro mal-estar ...rsrs
    Excelente trabalho de pesquisa amigo, fonte de vários e consagrados autores e gramáticos!
    Obrigada e uma grande semana! :)))

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Adriana, e excelente semana! ;)

      Excluir
  2. Olá António
    Eu tinha dúvidas.
    Obrigada pela aula
    Lúcia

    ResponderExcluir